Introdução

Lançado no Brasil em 2015 pela Editora Fiel, o livro “Mulheres da Palavra”, de Jen Wilkin, nos mostra algumas verdades que muitas vezes não reconhecemos por nós mesmas. Por isso, incentivamos a leitura da obra completa, já que a intenção dessa resenha não é abordar cada citação da autora, mas trazer apenas pontos principais.

Apesar de o livro ser direcionado a mulheres, eu ouso dizer que seu público pode ser ampliado para aqueles que desejam aumentar seu conhecimento bíblico, que, nas palavras da autora, é adquirido “quando uma pessoa tem acesso à Bíblia em uma linguagem que ela entende e quando está constantemente indo na direção do conhecimento e da compreensão do texto” (p. 43).

Sendo assim, será que é suficiente para a vida cristã apenas conhecer trechos bíblicos sem compreendê-los, interpretá-los ou até mesmo relacioná-los uns com os outros? A resposta é “não”, pois, em vez de conhecimento, isso nos trará uma grande confusão, de acordo com a própria experiência da autora. Por isso, devemos empenhar nossos esforços em bons métodos de estudo.

Revirando as coisas

Por vezes, somos tentadas a fazer as coisas de trás para frente, e também caímos nesse erro a respeito da Palavra de Deus. Jen Wilkin cita que, sem que percebamos, estudamos a Bíblia em busca de respostas acerca de nós mesmas, enquanto deveríamos ter em mente que a Bíblia, do início ao fim, é um livro sobre Deus.

Nós pensamos que se ela ao menos nos dissesse quem somos e o que devemos fazer, então nossas inseguranças, temores e dúvidas desapareceriam. Mas as nossas inseguranças, temores e dúvidas jamais podem ser banidos pelo conhecimento de quem nós somos. Eles só podem ser banidos pelo conhecimento do “Eu sou”. […] A Bíblia realmente nos fala sobre quem somos e sobre o que devemos fazer, mas o faz através das lentes de quem é Deus” (p. 29).

A autora entende que outro grande erro que cometemos é deixar que nosso estudo seja guiado pelo nosso coração, com o intuito de que ele nos proporcione certas emoções, como paz, conforto ou esperança. O problema dessa abordagem é que não olhamos para toda a Bíblia como inspirada por Deus. Por consequência, damos atenção somente a alguns textos e ignoramos a existência de outros, como Levítico ou Números. Além disso, Wilkin reconhece que só amamos aquilo que conhecemos, então, para amarmos a Deus com todo o nosso coração, nosso estudo deve ser guiado pela mente.

O estudo bíblico que equipa não separa o coração do estudo, mas coloca o coração no lugar certo: instruído pela mente” (p. 39).

Dessa forma, devemos alinhar a maneira que temos olhado para a Sagrada Escritura, deixando que a Bíblia fale sobre Deus e que a mente transforme o coração.

5 Ps do estudo saudável

Tendo como objetivo o estudo saudável, o livro propõe um método composto por cinco práticas: o estudo com propósito, perspectiva, paciência, processo e preces. Cada uma se relaciona com outra, sendo todas de igual importância.

Estude com Propósito

Compreenda onde o seu texto se encaixa na história principal da criação, queda, redenção e consumação. Chamamos isso de metanarrativa.

Estude com Perspectiva

Compreenda o contexto histórico e cultural do seu texto, utilizando as seguintes perguntas que podem ser respondidas por meio da Bíblia ou de pesquisas em fontes confiáveis:

  • Quem escreveu o texto?
  • Quando ele foi escrito?
  • Para quem ele foi escrito?
  • Em qual estilo ele foi escrito?
  • Por que ele foi escrito?

Estude com paciência

Nem sempre conseguimos compreender de primeira o que o texto diz, mas em algum momento conseguiremos; portanto, é importante que sejamos pacientes e perseverantes. Assim sendo, estabeleça uma expectativa realista para seu ritmo de estudo.

Estude com processo

Comece a ler o texto metodicamente através de três etapas:

Etapa 1: Compreensão (O que o texto diz)

Nesta etapa buscamos intencionalmente descobrir o que o autor pretendia passar, utilizando as seguintes ferramentas:

  • Tenha uma cópia impressa do texto
  • Leia o texto várias vezes.
  • Anote (podemos marcar palavras repetidas; verificar e anotar os atributos de Deus observados no texto; enumerar quando citados vários argumentos; marcar palavras-chave de conexão, tais como “se”, “então”, “portanto”, “semelhantemente”, “mas”, “porque” ou “da mesma forma”, e conectar as frases; além de anotar ideias confusas/questionamentos).
  • Utilize um dicionário de português para palavras desconhecidas.
  • Verifique outras traduções da Bíblia.
  • Faça um esboço a partir do que foi verificado no texto.

Etapa 2: Interpretação (O que o texto significa)

Se na compreensão focamos no que o texto diz, na interpretação buscamos o significado do texto. Um bom exemplo dado pela autora é que, observando Gênesis 1, vemos que Deus criou todas as coisas em seis dias, mas ao interpretarmos, podemos deduzir que Deus as criou em certa ordem ou de certa forma. Devemos confiar que conseguimos interpretar por nós mesmas, antes de buscarmos por comentários e interpretações de outros autores. Assim, torna-se mais fácil julgar aquilo que é confiável ou não. Duas dicas para a interpretação:

  • Verifique referências cruzadas de versículos que possuem ideias em comum.
  • Faça uma paráfrase, isto é, escreva a passagem com suas próprias palavras.

Etapa 3: Aplicação (Como o texto deve me transformar)

A partir de uma perspectiva centrada em Deus, coloque em ação aquilo que foi estudado, respondendo:

  • O que essa passagem me ensina sobre Deus?
  • Como esse aspecto do caráter de Deus transforma minha visão do eu?
  • Como eu devo responder a isso?

Estude com Preces

Por último, mas não menos importante, peça ao Pai para ajudá-la antes, durante e depois do seu tempo de estudo.

Conformadas à imagem e semelhança de Deus

Um estudo bíblico saudável nos revelará mais a respeito de Deus e, consequentemente, de como nos tornarmos semelhantes a Ele.
Como posso me conformar à imagem de alguém a quem nunca contemplo? […] Não posso ser uma verdadeira adoradora de Deus sem amar a Bíblia de forma profunda e reverente” (p. 173).

Por essa razão, devemos crescer em conhecimento bíblico, para que sejamos “imitadores de Deus, como filhos amados” (Efésios 5:1). É isso o que faz o livro “Mulheres da Palavra” ser tão maravilhoso, porque a autora nos ensina um método de estudo com dicas práticas, para que alcancemos o conhecimento do Criador de forma autônoma.

Jen Wilkin

Esposa, mãe, palestrante, professora de estudos bíblicos direcionados para mulheres e escritora de algumas obras traduzidas como “Mulheres da Palavra”, “Renovadas” e “Incomparável”. Jen Wilkin tem se empenhado em ensinar a mulheres como amar a Deus com suas mentes através do estudo da Bíblia.